Refugiados Sobrevivem Em Casas Ocupadas Em Atenas 1

Refugiados Sobrevivem Em Casas Ocupadas Em Atenas

Notara, a Segunda ou Jasmin, a Quinta (estas últimas duas escolas), o Hospital, o Hotel City Plaza Hotel Oniro. Essas são as seis Squads, casas ocupadas por refugiados, que existem, em Atenas, onde a vida é dura. Principalmente, já que vivem várias pessoas lotaram e as infra-estruturas não estão preparadas pra isso. Em cada uma das escolas, a título de exemplo, vivem por volta de 400 pessoas, apesar de não haver um censo oficial. Efetivamente, várias vezes, vêem-se caras recentes e algumas desaparecem. As primeiras são pessoas que chegam desesperadas para Atenas, as novas, geralmente, pessoas que marcha em pesquisa de um lugar melhor para permanecer próximo de sua família.

Pela mesma sala de aula de uma categoria dormem diversas famílias, que separam estes espaços com telas ou lençóis para manter um tanto de privacidade. As pessoas dormem em colchões de futon ou de espuma, mesmo as mulheres grávidas. No caso de as escolas não havia um espaço separado entre os chuveiros e os váteres.

“No mesmo recinto onde exercem suas necessidades, eu tenho que lavar meus filhos com água fria”, relatou a esse blog uma mãe de três filhos, o mais velho de quatro anos. Contudo cada blog tem o teu handicap. No caso das escolas existe o clássico pátio, um grande espaço ao ar livre onde as garotas são capazes de brincar e os adultos relaxar.

Uma coisa que não existe em outras squads, onde não existe só um espaço ao ar livre e o sentimento de superlotação é superior. Assim, no Hospital e no Hotel Oniro a principal atividade, que organizam os voluntários é transportar as moças para brincar no parque.

Assim como há escassez de comida. Em ambas as escolas, que eu mesmo visitei, cada tarde chega um caminhão com alimentos, que são doações privadas. Isso serve para o jantar. Os refugiados, que têm mais recursos próprios conseguem comprar outros alimentos no decorrer do dia, porém eu descobri uma pessoa que me confessou que só janta.

  • 11 de novembro: Trânsito de Mercúrio
  • DLE, Dicionário da real academia espanhola
  • Hospital de Zumárraga – gracioso horizonte
  • Jorge Negrete: Um charro de lenda. Nós Somos Um, Núm 88, janeiro de 1994 (edição especial)

por esse caso, também é primordial o trabalho dos voluntários. Na Segunda, Voluntart, uma organização espanhola que gere esta universidade desde junho, a cada manhã, oferece café da manhã pra criancinhas para prevenir que não tenham problemas de desnutrição. Pela Quinta, um grupo de gregos foi ajeitado e 3 vezes por semana, recorre a esta espaços pra cozinhar pros refugiados e compartilhar momentos com eles. Quem vive em squads?

As casas ocupadas, principalmente, são habitadas por refugiados sírios, contudo bem como há iraquís e afegãos, que são minoria. Também, as rotas que têm feito para vir são complicadas. Deslocaram-Se desde a Síria, o Iraque ou o Afeganistão até a Turquia, onde pegaram um barco pra voltar à Grécia.

Author: