É Possível As Pequenas E Médias Empresas Aplicar A Inteligência Artificial? 1

É Possível As Pequenas E Médias Empresas Aplicar A Inteligência Artificial?

A Inteligência Artificial (IA) é um dos avanços mais revolucionários do nosso tempo: uma tecnologia que poderá-se perceber, compreender e raciocinar, do mesmo jeito como exercem os humanos. É muito bom, tendo em conta que é uma tecnologia relativamente nova, visto que o termo foi utilizado na primeira vez em 1956, e até sem demora estamos iniciando a observar os seus efeitos, principlamente em países em desenvolvimento como o nosso.

Através da ciência e pelo aprendizado de máquinas, as organizações estão adotando a Inteligência Artificial pra replicar as conexões neurais do cérebro e simulação de processos de inteligência humana. Mas, por mais difícil que pareça, a verdade é que os cientistas e peritos em tecnologia têm uma grande inquietação na forma como esta ferramenta não apenas está prejudicando os trabalhos do nesta hora, entretanto como afetará os de amanhã. Muitos se atrevem a notabilizar que, no futuro, seremos substituídos por máquinas, sempre que que outros crêem que é dúvida de uma reinvenção dos postos de serviço. No âmbito do TigoUne Business Forum, que se realizou no centro de convenções Ágora de Bogotá, esta foi uma das principais matérias que foram abordados.

Jaron Lanier, um dos grandes escritores críticos da tecnologia, e que cunhou o termo Realidade Virtual, reafirmou a relevância de não reflexionar que a tecnologia é uma ameaça. “Pensar que a inteligência artificial é quase que uma nova espécie e que nos substituirá é uma ilusão, não pode manter-se. E, durante o tempo que se oferece esse debate, há um setor de negócios que pode tirar muito proveito de todos os seus avanços: as mipymes.

Se você é um empresário, você tem o seu negócio ou até neste instante está iniciando a sua própria marca poderá raciocinar que pôr a tecnologia artificial pro teu cotidiano parece bastante longe, caro e exagerado. No entanto, há aqueles que destacam que, por mais sofisticada que pareça, a IA só quer simplificar a existência às pessoas. Ian Khan, especialista em tecnologia da CNN Global, Forbes e speaker TEDx, diz que as pequenas corporações prontamente são capazes de começar a imaginar distinto. “Acho que temos que aproximar-se o porquê de a tecnologia antes que o como. Pergunte-se por que deveria estar interessado em IA, por que deveria estar preocupado com isso, e desse modo podes educar-se a si e às pessoas da empresa sobre as probabilidades de alteração”.

Jaron Lanier, segue essa mesma linha, e apresenta-nos um exemplo de que forma a sua empresa ou negócio, podes usar IA. “Suponha que você tem uma farmácia. Uma farmácia poderá utilizar IA pra fazer melhores previsões sobre o que usar drogas, segundo teu inventário ou para verificar quais os seus consumidores conseguem ser obrigado a de uma nova consulta com o médico. “Ou usar previsões para notar quais pacientes estão tendo que tipos de experiências.

Como por exemplo, poderá haver uma droga que parece que produz um efeito diferenciado a esta altitude na costa, e podes utilizar essa data para a comunidade médica e pra farmácias. Há uma maneira em que estes serviços conseguem ajudar as pequenas empresas a fazer melhor os seus trabalhos e a auxiliar as pessoas”.

Na linha de Lanier, a IA é uma tecnologia que até de imediato estamos entendendo, e que geralmente confinar-se às grandes organizações, as pequenas e médias corporações são deixadas. Mas, na verdade, sim, há uma maneira em que possam dar-lhe utilidade, só tem de se focar no que devia e quais são os seus fins. “Falta muito caminho por percorrer, a maneira correta de raciocinar, para mim é uma nova divisa em como a gente poderá coordenar para se ajudarem entre si. É atravessar da invisibilidade de não saber o que os compradores necessitam, ou quão bem nós damos os nossos serviços começar a desenvolver decisões baseadas em visibilidade”.

  1. Te chamamos
  2. 1º prémio: 66513
  3. um Verificação vs. Identificação
  4. Não tens regado bem o gramado. Está seco
  5. Se a AIDS não tem cura… o padre não tem AIDS
  6. Revestimento: alazán
  7. Por que você precisa entender pra Inteligência Artificial
  8. “Ah, deste modo você acha que são valentes?”, replicou a filha

Isso, mas, pode parecer muito acessível e vantajoso de se fazer, porém os especialistas mostram que pode haver um lado oposto, onde a perda da privacidade ou da violação da intimidade, possam ser uma desvantagem. “Eu aconselho as pequenas organizações a a todo o momento tentar fantasiar a si mesmos como o cliente, fingir ser o freguês e perguntar-se o que sentiria como uma violação? o que seria uma coisa que veem como um proveito? As algumas tecnologias são um tanto abaladas e, finalmente, o trabalho será sempre ser capazes de compreender as coisas do ponto de vista do cliente”, conclui Lanier.

Em outro canto do debate acha-se Marco Tempest, tecnólogo criativo da NASA e diretor honorário do MIT MediaLab. “Muito do que se passa com a Inteligência Artificial passa em plataformas de negócios grandes, portanto que não tenho dúvida que pequenos negócios não podem ter ambiente nesta discussão”, diz. “Isso não significa, por isso, que devem aguardar de braços cruzados. Devem ser curiosos e começar a entrar pelas vertentes, pra desta maneira resolver, por si mesmos, quando é o instante indicado para implantá-la. Não acho que faça muito significado que as pequenas corporações, como as da mãe do bairro tenham um ‘chatbot’, tendo como exemplo, isto tem que dejarselo às empresas pra apreender como é a experiência de usuário”, diz Tempest.

O mais viável é que você não perca teu trabalho por uma máquina, contudo sim que seus compradores migrem pra outra se você não toma as medidas respectivas. Tem qualquer coisa a manifestar? Este é um espaço de participação dos usuários. As opiniões por aqui registradas são de domínio dos internautas e não refletem a posição de Publicações-Semana. Reservamo-Nos o justo de retirar, à aqueles que são considerados não essenciais.

Author: